Loading...

quarta-feira, 21 de maio de 2008

O AMOR, POR MIM.

ah,
o amor


Esse
amor,
que pensei que conhecia,
e me permitia dia a dia,
amornar a minha vida,esse era o amor..que eu tinha.( e tenho)

ah
mas eis o amor ( que ficou)
o amor,
que nunca deu certo.

Este,
que nunca petrificou...
nunca se desnudou, nunca trocou calor em lençóis,
esse amor que nunca se confundiu,
nunca brigou,
nunca ...cobrou.

Esse amor que nunca poderia ter dado certo,
amor que não podia ser permitido,
aquele que fugia de todas as regras,
aquele que fazia o coração acelerar,
as pernas perder o chão, a mão transpirar,
aquele que a gente nunca imaginou que
existia, aquele que ... fazia pássaros cantarem
todos os compassos,
parecendo um jazz improvisado, aquele som...que eu sempre amei.

esse amor inesquecível
que não me permito recordar,
alto risco,

esse amor
que eu não permiti...existir,

talvez não tivesse sido amor
se ...
usássemos a mesma cama
o mesmo banheiro
os mesmos talheres,
tivéssemos osmesmos problemas,
ou dividíssemos as mesmas músicas,
gostássemos do mesmo CD
do mesmo filme,
da mesma flor...

ou talvez fosse esse o verdadeiro amor,

mas

se fosse mesmo possível amar assim,
quem conhecêssemos profundamente,
o amor não nos permitiria nos afogar nas profundezas
nos faria apenas navegar por lugares conhecidos (mornos),
ele talvez nem nos permitisse afogar,
talvez nem mesmo perder o fôlego,
quanto mais passar por toda adrenalina que passa o nosso corpo,
quando tocamos alguém que desejamos demais,

o amor
se existisse com toda a eternidade
como cantam os poetas,

provavelmente não seria amor.

segunda-feira, 19 de maio de 2008

eu não entendo
por que o medo

de me atirar,

parece aquele sentido
sem sentido,
que vem avisar.

será?